sábado, 1 de fevereiro de 2020

O CRUZADOR PESADO PRINZ EUGEN NA ESCALA 1/350


Olá amigos do Blog. Interessante. Esta foto e artigo do Bismarck em matéria anterior no Facebook, atraíram 103 curtidas em 60 minutos. Isto é singular aqui na nossa coluna. Desta forma sou obrigado a escrever um pouco mais sobre este fascinante tema.

O Bismarck teve um final wagneriano na sua primeira missão. Mas ele não estava sozinho durante a Batalha do Estreito da Dinamarca, quando afundou, em uma explosão catastrófica, o poderoso cruzador de batalha HMS Hood e avariou o encouraçado HMS Prince of Wales.
Era parceiro do Bismarck na Operação Rheinübung, o cruzador pesado Prinz Eugen, um belíssimo navio com 199 m de comprimento e deslocando perto de 16.200 t. O seu armamento principal era de 8 canhões de 203 mm, distribuídos em 4 torres duplas. O Prinz Eugen escapou do cerco da Royal Navy e retornou a Brest, França. Ele sobreviveu a guerra sendo conhecido como "Navio Afortunado" ou "O Principe Afortunado", do seu lançamento em 1938, em Kiel, ao seu naufrágio no Atol de Kwajalein em 1946, Bikini, onde foi utilizado como alvo para testes nucleares americanos. Na verdade o cruzador suportou o sopro, calor e radiação de duas bombas atômicas, afundando só algum tempo depois, Atualmente um pedaço da popa do navio, com lemes e dois hélices ainda rompe a superfície do Pacífico. O terceiro hélice, pesando cerca de 7 toneladas, é atualmente um monumento em Marine-Ehrenmal, o Memorial Naval alemão em Laboe.
Pois bem, aqui seguem algumas fotos do meu cruzador pesado Prinz Eugen na escala 1/350, o "Navio Afortunado". Que história!













cavaleirodasprofundezas@gmail.com

Nestor Antunes de Magalhães é 2º Ten R/1 do Exército Brasileiro, tendo servido os nove últimos anos de sua vida profissional no Museu do Comando Militar do Sul, Porto Alegre. É membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (FAHIMTB), mergulhador CMAS** com quatro especializações, Submarinista Honorário da Marinha do Brasil e recebeu a Medalha do Mérito Tamandaré. Mergulhou em inúmeros naufrágios por toda costa brasileira, destacando, entre outros, a participação em uma expedição exploratória no Parcel de Manuel Luís, Maranhão. Também mergulhou em naufrágios de Truk Lagoon, Hawaii, Golfo de Suez, Golfo de Aqaba, Estreito de Tiran, Estreito de Gubal e Mar Vermelho.

0 comentários:

Postar um comentário