segunda-feira, 17 de junho de 2019

CEMITÉRIO AMERICANO E MEMORIAL EM MANILA - FILIPINAS

Olá amigos. Retornei à superfície. Estava nas Filipinas e em Guam, mergulhando e explorando naufrágios da I e II Guerras Mundiais. Aproveitei também para conhecer museus militares, cemitérios, memoriais e campos de batalha. Voltei com muitas histórias que serão valioso material para um possível livro novo, ainda sem título e data de lançamento. Um dos locais em que estive é o Manila American Cemetery and Memorial. Procurava as sepulturas de alguns tripulantes do naufrágio do bombardeiro B-24 Liberator que encontrei em Palau, história completa que está no livro De Guadalcanal a Creta. Não encontrei mas fiquei impressionado com o cemitério. Ele ocupa cerca de 152 acres em localização privilegiada no centro de Manila, com 17.097 sepulturas e uma parede onde estão os nomes de 36.286 desaparecidos. 25 mapas, de rara beleza, modelados em mosaico, mostram as principais batalhas da Guerra no Pacífico. Enterrados ali, estão 29 portadores da Medalha de Honra. Há uma capela com a imagem externa esculpida de São Jorge, como guerreiro americano, lutando contra o inimigo, um dragão, por justiça, pátria e liberdade. As cruzes das sepulturas são em mármore branco, sendo que a maioria foi fabricada na Itália. Este local magnífico, de rara beleza e respeito, impressiona e emociona mesmo os corações mais duros. Ele é administrado pelo American Battle Monuments Commission, entidade americana responsável por 26 cemitérios e 29 memoriais em 16 países. Mas vamos as fotos.

















DE GUADALCANAL A CRETA - MERGULHANDO NA HISTÓRIA

Olá amigos do Blog. O primeiro semestre de 2019 está fechando e eu tenho a satisfação de informar que foram vendidos mais de 500 exemplares do livro De Guadalcanal a Creta - Mergulhando na História. Isto é sucesso pois indica que atingiu favoravelmente os adoradores de mergulho em naufrágios e os interessados em História Militar, realmente uma bela mistura. O livro tem 327 páginas e mais de 500 fotos. Foi lançado pela editora Evangraf em 2018, tem prefácio de Adair  Ribeiro Júnior e texto de contra-capa de Maurício Carvalho. Reserve o seu exemplar pelo e-mail ulissess18@yahoo.com.br e por apenas R$62,00 receba-o em casa, para todo o Brasil, registrado, via postal e autografado pelo autor. De Guadalcanal a Creta é uma aventura intensa, real e emocionante!









sábado, 15 de junho de 2019

PITI GUN - GUAM

Olá amigos do Blog. Guam, com 543 km², é a maior ilha do arquipélago das Marianas, ocupando uma posição estratégica a oeste do Pacífico. É um território americano com aproximadamente 48 km de comprimento e uma largura que varia de 6 a 12 km. Pois esta ilha foi invadida pelos japoneses em 10 Dez 41 e custou aos americanos perto de 8.000 baixas para recuperá-la em 21 Jul 44. Os japoneses se entrincheiraram em Guam como só, eles sabiam fazer, resistindo até a morte em suas posições. Foi lá que aconteceu a mais sangrenta carga Banzai da Guerra no Pacífico. Perto de 18.000 foram mortos e somente 485 aprisionados, a maioria feridos. Há muita História na ilha. Uma delas é do sargento Shoichi Yokoy que ficou mais de 27 anos na selva, ainda em guerra com os Estados Unidos.Realizei diversos mergulhos em Apra Harbor, Guam, todos eletrizantes, dos quais faço questão de destacar os naufrágios de um hidroavião Aichi Jake, de um bombardeiro Aichi Val, do SMS Cormoran, do Tokay Maru e do Kisugawa Maru. Tudo a ser comentado nos próximos artigos aqui no Blog. Em terra, uma das visitas mais interessantes que fiz foi em uma colina onde estavam ainda 3 canhões japoneses, local conhecido como Piti Gun. Estas armas eram de fabricação inglesa, ano 1914, com 140 mm de calibre e capacidade de atingir a praia de Asan, local onde ocorreu um dos desembarques americanos. Estes 3 canhões são as únicas peças de artilharia de costa que ainda ocupam seu embasamento original de 1944. Para alcançar o local é necessário subir cerca de 400 m através de uma trilha na selva. Vamos ver as fotos?














MERGULHO NO SANKISAN MARU - TRUK LAGOON

Olá amigos do Blog. Truk Lagoon foi uma antiga e poderosa base logística-operacional japonesa bombardeada à extinção pela US Navy em 17 Fev 44, a Operação Granizo. Foram para o fundo da laguna perto de 220.000 t de navios, a maioria embarcações de suprimentos. Os americanos perderam somente 25 aviões para desferir este tremendo golpe na Marinha Imperial. Cerca de 250 aviões japoneses foram abatidos em combate e ou destruídos em terra. Hoje, Truk é um arquipélago que junto com mais 3, Kosrae, Yap e Pohnpei, formam um país insular e independente formado por 607 ilhas chamado de Estados Federados da Micronésia, lugar que é a Disneylandia dos mergulhadores de naufrágios. Estive por lá em 2012, e na companhia do dupla português Luís Mota, realizei dezenas de mergulhos emocionantes, com água a 30 ºC e visibilidade de 30 m.O meu primeiro mergulho em Truk Lagoon e o de número 126 registrado no Diver´s Log, foi no cargueiro de 4.776 t de deslocamento e medindo de proa a popa 113 m, Sankisan Maru. Foi algo surpreendente, eletrizante, ver o porão da proa, a 25 m de profundidade, abarrotado de munição, principalmente cartuchos de 7,7 mm, para os fuzis Arizaka e metralhadoras Nambu Tipo 92. Esta história completa, real, é o Capítulo II no livro De Truk a Narvik. Reserve o seu exemplar pelo e-mail ulissess18@yahoo.com.br e receba-o em casa. Vamos ver as fotos clicadas pelo Luís Mota? 











 

MUSEU DA FORÇA AÉREA FILIPINA 2

Olá amigos do Blog. Continuando a nossa visita ao Museu da Força Aérea Filipina em Manila, vamos dar uma olhadela nas exposições que ocupam a parte interna do prédio. Já na entrada do grande saguão, observei com surpresa um Boing Stearman PT 13, avelhado biplano de treinamento dos anos 30/40 e imediatamente recordei de outra história que aconteceu por aqui em 08 Fev 42. Pois um destes aviões (não seria o da exposição?), pilotado pelo intrépido capitão Jesus Villamor, executou uma missão de reconhecimento fotográfico sobre Cavite; espaço infestado por furiosos Zeros. Na realidade uma missão suicida, sem ter a defesa de pelo menos uma pistola e conseguiu retornar a salvo a Baatan Field com as preciosas imagens. Minha nossa, que história! Vamos ver as fotos?