terça-feira, 30 de agosto de 2016

20º ENCONTRO DE LÍDERES DE MERGULHO - NAUI

Estive presente neste importante evento que aconteceu na bela cidade de Jundiaí, São Paulo, no período de 23 a 28 de agosto de 2016, com a palestra Guadalcanal: Mergulho na Baía do Fundo de Ferro. Aproveitei também o momento para reencontrar velhos amigos da água, fazer novas e importantes amizades, bem como dispor de um lote de exemplares do livro De Truk a Narvik - Mergulhando na História, todos vendidos. Este encontro é um acontecimento internacional dedicado exclusivamente aos profissionais do mergulho e considerado o maior do gênero da América Latina. Nele ocorreram cursos de especializações, clínicas, ciclo de palestras  e exposição dos principais distribuidores de equipamentos de mergulho.
Início da palestra

Público adorador de mergulho em naufrágios e História Militar

Entre dois mergulhadores primorosos: Vicente e Kallas

Com o Douglas (e), Flávio e Isnei, da Azul Profundo e Piradivers

Com o Reinaldo da Acquanauta, entusiasta de Truk Lagoon
Diogo e o popular Jornada

Sessão de autógrafos com o Rodger e o Santana

Todos os livros vendidos. Com o Rodger e o Cipriano

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

O ALMIRANTE YAMAMOTO

Estive recentemente visitando o National Museum of The Pacific War, instituição de memória sediada em Fredericksburg, Texas.
O museu é prodigioso, surpreendente, dotado de um rico acervo e primorosa expografia. Passei quatro dias no museu, observando detalhes, anotando fatos, conversando com os monitores, fotografando e descobrindo preciosidades nos seus expositores.
Um dos objetos de raro valor histórico que encontrei, foi um pedaço do bombardeiro Mitsubishi G4M Betty no qual o almirante Isoruko Yamamoto, comandante-chefe da Frota Combinada da Marinha Imperial japonesa  foi morto. O avião foi abatido por caças P-38 americanos sobre a Ilha Bougainville em 18 Abr 43 quando o almirante realizava uma inspeção pessoal das bases avançadas. Era um voo de Rabaul com destino a Ballale, pequena ilha ao sul de Bougainville.
Juntos, também dentro da mesma vitrine, estavam o mapa utilizado pelo tenente Rex Barber e a foto do tenente Ray Hine, único americano morto na missão.
Tudo começou quando os criptógrafos da Marinha americana, decifraram uma mensagem japonesa que indicava a data, hora e rota do voo de Yamamoto. Foi então rapidamente organizada a mais longa interceptação aérea da II Guerra Mundial quando 16 caças P-38 Lightning voaram de Guadalcanal a Bougainville, quase 2.000 Km entre ida e volta.
O almirante era pontual. Na hora prevista, 07h30min, os dois Betty conduzindo Yamamoto e seu estado maior, bem como nove caças Zero de escolta, foram atacados pelos P-38. Seguiu-se feroz combates aéreo e os tenentes Lamphier e Barber conseguiram abater os dois bombardeiros. Um, o do almirante, caiu em chamas na selva. O outro onde estava o vice-almirante Ugaki (sobreviveu a queda), chefe do Estado Maior da Frota Combinada, caiu no mar, nas proximidades da barreira de recifes. O tenente Hine foi derrubado ao lutar contra três Zero enfurecidos em um combate em carrossel. A maioria dos 15 Lightning que retornaram a Guadalcanal, estavam crivados de balas.
Um dia depois uma patrulha do Exército japonês conseguiu chegar até o local, em plena jungle. O corpo do almirante ainda estava preso no seu assento, projetado para fora do avião. Apertava o seu sabre entre as mãos. Morrera antes da queda pois foram encontrados buracos de balas na base do crânio e no ombro. Suas cinzas e o sabre foram levados à Tóquio para as exéquias solenes.
Yamamoto não era somente um almirante, era a personificação da Marinha Imperial japonesa.
Que história!