terça-feira, 12 de julho de 2016

O CAPACETE DE SABURO SAKAI

O tenente Sakai foi um excepcional piloto de caça da Marinha Imperial japonesa, com 64 vitórias aéreas, sendo considerado o  maior ás do Japão sobrevivente a II Guerra Mundial.
É dele a maior façanha da aviação de caça de todos os tempos. Durante uma feroz batalha sobre Guadalcanal, após abater dois aviões  inimigos, avistou oito Wildcats em formação cerrada e os atacou pela retaguarda. Foi um grave erro de avaliação pois os aviões americanos não eram caças mas sim bombardeiros de mergulho Douglas SBD Dauntless, armados cada um com duas metralhadoras Browning .30 atirando para trás, e o pior, estavam na espera.
Apesar de conseguir derrubar dois dos Dauntless, teve o cockpit do seu caça Zero demolido a bala, ficando gravemente ferido na cabeça, cego do olho direito e com o lado esquerdo do corpo, braço e perna, paralisado.
Mesmo assim, alternando períodos de semiconsciência, sangramento, intensa dor, sonolência e cegueira, conseguiu voar mais de 1.000 km sozinho  sobre o Pacífico, de Guadalcanal a Rabaul, pousando o Zero em segurança.
Naquele dia havia ficado no ar mais de oito horas e conseguido retornar vivo a sua base levando duas balas .30 incrustadas no seu crânio. Minha nossa!

Tive a grata oportunidade de visitar recentemente o National Museum of The Pacific War, Fredericksburg, Texas. É um museu completo, com uma primorosa expografia e um valioso acervo que retrata a Guerra no Pacífico com notável veracidade.
Pois uma das peças mais valiosas que pude encontrar em um dos expositores foi o capacete de voo esburacado de Saburo Sakai, o mesmo utilizado nesta missão sobre Guadalcanal. Impressionante!
Caça Zero voando sobre o Pacífico

Saburo Sakai em 1998

Modelo em escala 1:6 do Sub Ten Sakai

National Museum of The Pacific War

Sakai e seu caça Zero

O capacete de voo furado em exposição no Museu

cavaleirodasprofundezas@gmail.com

Nestor Antunes de Magalhães é 2º Ten R/1 do Exército Brasileiro, tendo servido os nove últimos anos de sua vida profissional no Museu do Comando Militar do Sul, Porto Alegre. É membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil (FAHIMTB), mergulhador CMAS** com quatro especializações, Submarinista Honorário da Marinha do Brasil e recebeu a Medalha do Mérito Tamandaré. Mergulhou em inúmeros naufrágios por toda costa brasileira, destacando, entre outros, a participação em uma expedição exploratória no Parcel de Manuel Luís, Maranhão. Também mergulhou em naufrágios de Truk Lagoon, Hawaii, Golfo de Suez, Golfo de Aqaba, Estreito de Tiran, Estreito de Gubal e Mar Vermelho.

0 comentários:

Postar um comentário