quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

THE PALACE ARMOURY - MALTA

Malta é impregnada de histórias e lendas sobre cavaleiros. Foi lá que os cavaleiros da Ordem de São João, os últimos cruzados, lutaram com extrema coragem e tenacidade, mesmo em minoria e venceram os turcos otomanos durante o grande cerco da ilha em 1565. Tive a feliz oportunidade de visitar o The Palace Armoury, um impressionante museu de armaduras, talvez um dos maiores acervos do mundo. A coleção é extraordinária e a expografia primorosa.
Em anexo. com muito prazer, compartilho algumas fotos com vocês. O grande momento da exposição é quando a história das armaduras se cruza com a aurora das armas de fogo. Observem as marcas das balas dos arcabuzes nas armaduras de placas. O campo de batalha não seria mais o mesmo. É emocionante. Que história! 








segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

É FÁCIL RECEBER O SEU LIVRO EM CASA


"De Truk a Narvik - Mergulhando na História" têm-se constituído em um grande sucesso entre os mergulhadores de naufrágios e os adoradores de História Militar. São relatos verdadeiros, emocionantes, em 280 páginas, 35 capítulos e mais de 300 fotos.
Receba o seu exemplar em casa, registrado e autografado pelo autor. Para isto, deposite R$49,00 na conta corrente 50.648-6 do Banco do Brasil, agência 2821-5. Depois confirme pelo e-mail ulissess18@yahoo.com.br. O livro segue no mesmo dia.

Já o livro "U Boats - Mergulhando na História", na sua terceira e melhor edição, está quase esgotado e não há previsão de uma quarta edição a médio prazo. Entretanto ainda pode adquirido pela mesma maneira acima especificada.
E vem aí um novo e eletrizante livro: "De Guadalcanal a Malta - Mergulhando na História", possivelmente para o final de 2016.

"Caro, Nestor.
Ao terminar de ler o seu livro, sinto que somos amigos de longa data. Gostaria de parabenizá-lo por ele, uma leitura prazerosíssima e contagiante, que mescla aventura com histórias de soldados e suas máquinas extraordinárias. Me senti fazendo parte dos mergulhos como  teu dupla e também das visitas aos museus como um velho parceiro de viagem. Quem sabe a gente não mergulhe junto algum dia? O meu interesse ficou mais aguçado por naufrágios e por toda a história militar que está no fundo do mar. Tudo isto é fascinante, homens e máquinas que fizeram esta história e que merecem o nosso respeito e admiração. Um forte abraço."

                                                                                                Ronaldo Ferraro
                                                                                   Advanced Open Water - SSI

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

MALTA: MISTÉRIO NAS PROFUNDEZAS

Sabia que um dos mergulhos mais interessantes em Malta era o naufrágio do Schnellboot S-31, uma lancha torpedeira alemã que afundou em 10 Mai 42 ao topar em uma mina, ao largo da entrada do Grande Porto.
Os destroços estão bem preservados (vi fotos e um filme), inclusive há um torpedo ainda dentro do seu tubo lançador. Minha nossa, mergulhar em um Schnellboot!
Entretanto havia um detalhe: o naufrágio se encontrava a 73 m de profundidade, além do meu nível técnico. Na véspera, foi uma noite mal dormida, preocupada, pois seria um mergulho arriscado. Por fim prevaleceu a prudência, o bom senso e fui obrigado a desistir. Uma pena.
Pela manhã fomos mergulhar no naufrágio do bombardeiro Bristol Blenheim que dormitava a 41 m no leito do Mediterrâneo. Na volta à superfície, já embarcado, comentei com o capitão do nosso inflável, que havia desistido da lancha alemã. Era muito fundo, arriscado. Ele notando a minha perda de entusiasmo, disse que sabia do naufrágio de outra lancha, uma MAS ( Motoscafo Armato Silurante ) italiana. Estava raso, somente 35 m. Aprovei na hora!
Logo descíamos pelo cabo-guia, eu e meu dupla, o maltês Casey, instrutor da Cresta Diving Centre. A visibilidade era de 30 m e a temperatura da água, 21° C. Os destroços estavam desmantelados  sobre um fundo de areia, ocupando o espaço compatível a uma pequena embarcação. Observei um dos motores, ferros retorcidos, um tubo lança-torpedos de 21 pol e...um canhão Bofors 40 mm ainda no seu pedestal e quase invertido no fundo marinho. Muito estranho para uma lancha italiana. Depois encontrei um estojo ( cartucho vazio ) de granada 127 mm; munição totalmente incompatível para armamento de uma embarcação do porte de uma lancha. Então o naufrágio seria o quê?
O canhão Bofors e o modelo do tubo lança-torpedos eram muito semelhantes a os de um PT Boat americano, fabricado pela ELCO.  E o estojo de 127 mm? Teria sido jogado ali sobre o naufrágio?

Lembro de ter visto um filme onde o canhão Bofors na popa de um PT Boat da US Navy, atirava em alvos japoneses na costa de Borneo, em 1944. Era o mesmo canhão. E agora? Não seria uma MAS capturada pelos ingleses  e depois "customizada" com o tal canhão? Fica a dúvida. Confiram as fotos:

Com o estojo de granada 127 mm

Canhão Bofors 40 mm

Tubo lança-torpedos de 21 pol

domingo, 6 de dezembro de 2015

MERGULHO EM MALTA



Quem possuísse Malta, tinha nas suas  mãos a chave estratégica  do Mediterrâneo central. Aquela ilha amarelada e rochosa era uma base aeronaval que não só protegia o tráfego marítimo Aliado entre Gibraltar, Alexandria  e o Canal de Suez, na sua parte mais perigosa e estreita, como também era um obstáculo no tráfego direto entre a Itália e o Norte da  África. Foi Malta quem decretou a derrota do Afrika Korps.
Estive mergulhando e explorando naufrágios da II Guerra Mundial desta ilha durante a segunda metade do mês de novembro de 2015. Para tanto contei com o apoio da Cresta Diving Centre, operadora e escola localizada em St Julian´s, Malta. Entre os diversos mergulhos, alguns embarcados e outros partindo de cais, destaco o HMS Maori, o SS Margit, um bombardeiro Bristol Blenheim, uma lancha torpedeira de nacionalidade desconhecida, o HMS Hellespont, um torpedeiro Bristol Beaufighter, o Coralita X 127 e um lanchão de desembarque (LCM). Também mergulhei no naufrágio de três grandes canhões antecarga com 38 t cada que estão a pouca profundidade junto a costa.
Visitei diversos museus militares, fortaleza, locais históricos da Batalha de Malta, monumentos, cemitérios, memoriais e a St Mary´s Church, Mosta, local atingido por uma bomba alemã de 500 kg que perfurou o domo, caiu entre centenas de pessoas e falhou. Tal fato é considerado até hoje como um milagre.
Ainda vale comentar o grande canhão antecarga Armstrong de 100 t e 450 mm que permanece desde o Século XIX guarnecendo o Fort Rinella. Impressionante.


Motor do bombardeiro Bristol Blenheim

Base da torre do canhão de proa do HMS Maori


Munição da Segunda Guerra Mundial coletada no fundo do Mediterrâneo
Torpedeiro Bristol Beaufigther
Canhões de carregamento antecarga 38 t

Penetrando o Mediterrâneo pela costa

Mergulho embarcado

Com os amigos mergulhadores: Koender (e), Nestor, Kadri e Eliane

Caneca coletada no naufrágio do LCM

O Armstrong 100 t do Fort Rinella

Horror para os antiarmas brasileiros: no Fort Rinella crianças atiram com munição de festim no fuzil Enfield Martini - Henry
Réplica da bomba alemã de 500 kg que atingiu St Mary's Church


Bombas alemãs no Malta At War Museum

Spitfire no Malta Aviation Museum
























PALESTRA NA PLANETA MERGULHO

Teve um bom público a palestra "Guadalcanal - Mergulho na Baía do Fundo de Ferro", que foi realizada na Escola Planeta Mergulho, na noite do dia 20 de outubro de 2015.


PARTICIPAÇÃO E PALESTRA NO PADI DIVE FESTIVAL - SÃO PAULO BOAT SHOW

Estive presente neste importante evento internacional de mergulho através da palestra "De Truk a Narvik - Mergulhando na História", que teve a participação de uma grande público interessado. Aproveitei também a semana, no São Paulo Boat Show,para lançar o livro com o mesmo título no estande da Azul Profundo.