terça-feira, 2 de setembro de 2014

MERGULHO EM SCAPA FLOW, NARVIK E TROMSO

Existe a previsão do lançamento do meu novo livro para o início de 2015 que chamar-se-á "De Truk a Narvik, Mergulhando na História". Já se encontram prontos e revisados 24 capítulos que abordam mergulhos em naufrágios e história militar, faltando ainda seis.

Com o objetivo de coletar material para a conclusão desta obra, estive recentemente mergulhando e explorando os naufrágios da Esquadra de Alto Mar Alemã que ainda permanecem no fundo da Baía de Scapa Flow, Ilhas Orkney, antiga base da Royal Navy.

Realizamos 14 mergulhos nos encouraçados SMS Kronprinz Wilhelm, Markgraf, König e nos cruzadores SMS Köln, Brummer, Bayern, Karlsruhe e Dresden.
Retornando do naufrágio do encouraçado SMS Markgraf
Vale a pena acrescentar ainda a presença no Centro de Visitantes de Scapa Flow e Museu, Memorial do HMS Royal Oak, Capela Italiana, Memorial de Lord Kitchener, Museu de Stromness, Cemitério Naval de Lyness, Bateria Links e Bateria Ness.
Também com o emprego de uma embarcação, refiz em detalhes toda a rota de Günther Prien e do U 47 em 1939, desde o local da sua penetração na Baia de Scapa Flow, em Kirk Sound, a passagem no través da vila de Saint Mary, as posições de disparo dos torpedos e por fim a boia verde que marca a sepultura do HMS Royal Oak, sua presa.

Ao retornar a Stromness, circulamos a boia que vela os destroços do encouraçado HMS Vanguard, que a semelhança do nosso Aquibadã em 1906, afundou devido a uma catastrófica explosão acidental de um dos seus paiois em 1917.
Boia que marca o naufrágio do HMS Royal Oak
Meu objetivo seguinte foi Narvik, na Noruega, porto situado além do Círculo Polar Ártico e que foi palco de duas violentas batalhas em 1940. Mergulhei nos naufrágios dos destróieres alemães Wilhelm Heidkamp, Anton Schmidt e no cargueiro Neuenfels. Os primeiros no Ofot Fjorde e o cargueiro no Beis Fjorde. Junto com os mergulhadores do Sportsdykkerklubb, localizamos e exploramos o naufrágio de um hidroavião Dornier 26 no fundo do Rombaks Fjorde, onde a 22 m de profundidade, registramos água com 7° C de temperatura. Tive ainda a feliz oportunidade de conhecer a proa do destróier Georg Thiele que se encontra cravada nas rochas de uma praia deste mesmo fjorde, silenciosa testemunha da violenta luta que ali ocorreu em 1940.

Finalizando a minha permanência na Noruega, viajei até Tromso, onde com o apoio do Dag, meu guia mergulhador, exploramos os restos do encouraçado Tirpitz, tragicamente afundado em 1944 e que estão em águas rasas ao largo da Ilha Hakoy.
Objetos coletados dos navios alemães e em exposição no Museu de Stromness















Proa do destroier Z2 Georg Thiele
















Sapato de marinheiro nos destroços do Tirpitz












Fuzil Kar 98 K encontrado no naufrágio do encouraçado Tirpitz